Nutrição – ESSPS

Educação Nutricional & Doenças Associadas

Até para o ano! Junho 7, 2008

Filed under: Sem-categoria — chocolatinhos @ 7:48 pm

Agora que o ano lectivo acabou o blog irá entrar também num período de férias. No entanto todo o trabalho e informação continuará disponível para consulta. Despedimo-nos por agora. Até breve!

Ana Almeida
Ângela Marques
Carina Rocha
Luís Rocha
Marlene Santos
Marta Oliveira
Marta Vargas
Tânia Santos

AP 2007/2008 @ ESSPS

 

Nitratos na nossa alimentação Junho 6, 2008

Filed under: Sem-categoria — analmeida @ 4:57 pm

Escondidos no verde dos legumes, na água que bebemos, …, os nitratos são um veneno comum e que poderão causar sérios danos à saúde. Quando ingerimos alimentos com elevadas quantidades de nitratos, no estômago, os nitratos alteram-se em nitritos e combinam-se com outras moléculas lá existentes formando produtos cancerígenos.

 

  Os alimentos obtidos por agricultura biológica são uma garantia de saúde para o consumidor:

      -Têm um baixo teor de nitratos;

-Um maior teor de vitamina C (anti-cancerígena);

-Maior percentagem de matéria seca (alimentos com menos água, logo, mais sabor).

 

 

Cuidados a ter nas compras

            O consumidor informado deve comprar alimentos obtidos por agricultura biológica.

– Evite comprar carne fumada, fiambre, chouriço, salsichas… (tratados industrialmente).

– Escolha alimentos com baixa capacidade de absorção de nitratos: couve-de-bruxelas, cebola, feijão verde, pepino, tomate, pimento…

– Compre frutas ácidas, ricas em vitamina C (maçã reineta, laranja, tangerina, …).

 

Cuidados a ter na confecção dos alimentos

            Não reaqueça os legumes não biológicos, nem aproveite a água da cozedura. Pois, esta contém nitratos dissolvidos durante a cozedura.

 

 

Alimentação Saudável

Filed under: Sem-categoria — chocolatinhos @ 3:02 pm

 

Minerais

Filed under: Sem-categoria — angelamarques @ 2:02 pm

Os minerais contribuem para a conservação e renovação dos tecidos, para o bom funcionamento das células nervosas (cérebro) e intervêm num número considerável de reacções que ocorrem no organismo.

Encontram-se numa grande variedade de alimentos de origem animal e vegetal.

De acordo com as necessidades diárias podemos classificálos em:

  • minerais – para quantidades superiores a 100mg/dia – que incluem cálcio, fósforo, potássio, enxofre e cloro;
  • e em oligoelementos – para quantidades inferiores a 100mg/dia – os quais incluem cobre, crómio, ferro, flúor, iodo, magnésio, molibdénio, selénio e zinco.

 

A tabela seguinte apresenta como exemplo alguns minerais e funções que estes desempenham no organismo, bem como as suas fontes alimentares.

 

 

 

Alguns Minerais

Funções no organismo

Funções alimentares

Cálcio

  • Essencial para a constituição de ossos e dentes.

Lacticínios (queijo, iogurte e outros leites), frutos secos (avelãs, nozes), produtos hortícolas de folha verde-escura (couve congelada).

Magnésio

  • Intervém nos processos que permitem a actividade muscular e do sistema nervoso.

Cereais, leguminosas (feijão, grão-de-bico), soja, frutos secos.

Ferro

  • Intervém no transporte de oxigénio pois faz parte de componentes do sangue;
  • Acção no sistema imunitário, ao nível das enzimas e hormonas.

Gema de ovo, carnes, leguminosas 8feijão e lentilha), pescado e nozes.

Zinco

  • Importante na produção de insulina e formação do ADN;
  • Essencial no sistema imunitário;
  • Papel importante no controlo da produção da testosterona.

Fígado, marisco (mexilhão, ostra), leguminosas (feijão).

 

Questionário ao responsável pelo SASE

Filed under: Sem-categoria — angelamarques @ 10:20 am

 

 

No decorrer do nosso projecto achámos importante realizar uma  intrevista ao responsável pelo SASE.

Esta é pois uma adaptação das respostas do responsável pelo SASE ao nosso questionário:

1. As ementas são exclusivamente elaboradas por si ou há interligação com outros membros da escola?

Sou eu que elaboro as ementas, no entanto, peço a opinião à cozinheira, para ver se está de acordo.

2. Quais os cuidados que tem na elaboração das ementas?

Quando elaboro as ementas faço um calendário para cerca de três meses, tentando não repetir as mesmas, frequentemente, tento que estas sejam equilibradas, no entanto, não sou demasiado fundamentalista, atendendo pois aos gostos dos utentes da cantina da escola.

3.Porquê é que às terças feiras/quintas-feiras há como hipótese de subremesa iogurte?

Porque é nesses dias em que vem o fornecedor, e além disso, é o dia em que temos mais pessoas as almoçar na cantina.

4. Como sabem quantos alunos almoçam num determinado dia?

Porque estes compram a senha na véspera ou então no próprio dia, permitindo-nos assim ter uma ideia do número de refeições necessárias.

5. Caso o número alunos a comprar senha no próprio dia seja superior às expectativas, como se dá a volta à situação?

Normalmente não há grandes oscilações, no entanto, por vezes à alguns imprevistos, tais como aparecerem os alunos dos CEF’s, pois estes não têm senhas.

6. E quando o número é inferior ao esperado o que acontece à comida que sobra?

Não custuma sobrar muita comida, visto que já temos uma previsão da quantidade que é necessário, no entanto, as sobras vão para o lixo.

7. Quem fornece à escola os alimentos para a cantina e para o bar?

São empresas seleccionadas num concurso que se realiza no ínicio do ano, e as quais são escolhidas tendo em conta o preço e a qualidade dos alimentos.

8.Como se faz a previsão da quantidade de alimentosna cantina e no bar?

Nos primeiros dias é complicado ter a noção da quantidade de alimentos necessários, e por isso, optamos por elaborar ementas para a cantina que possam ser remediadas mais facilmente caso falte comida. Passadas as primeiras semanas, já sabemos mais ou menos a quantidade de pessoas que utilizam estes locais, no entanto temos em atenção as visitas de estudo, uma vez que estas reduzem sempre o número de utentes da cantina e do bar.

9. De quanto em quanto tempo se realiza a limpeza da cantina da escola? E do bar?

É efectuada uma limpeza diária quer do bar quer da cantina, mas as limpezas mais “a fundo” são efectuadas nas interrupções das aulas, nas férias, sendo realizadas pinturas do bar e da cantina nas férias de Verão.

10. Nos períodos de interrupção do ano lectivo, como no Natal e na Páscoa, os equipamentos de frio mantêm-se em funcionamento?

Quando sobram alimentos ficam ligados, no entanto tenta-se sempre que sobre a mínima quantidade de alimentos possível, de modo a que se reduza o número de equipamentos ligados. Nas férias de Verão é feita uma manutenção dos equipamentos por uma empresa especializada.

11. São comprados alguns produtos a particulares?

A compra de produtos a particulares é proibida.

 

 

6 Passos para Evitar Doenças Causadas por Alimentos

Filed under: Segurança Alimentar — analmeida @ 9:06 am

Passo 1: Ter cuidado com o que compra

          Certifique-se que o que compra no supermercado é o mais fresco possível. Procure nas embalagens as datas de validade ou de “usar até”.

Passo 2: Lavar sempre as frutas e os vegetais (mesmo que venham em embalagens com a indicação de “pré-lavados”)

          As frutas e os vegetais podem ser portadores dos agentes patogénicos mortais, particularmente se tiverem sido lavados ou regados com águas contaminadas com fezes.

Passo 3: Ter cuidado com os alimentos específicos de “risco”

          Dê uma atenção especial a alguns alimentos de risco tais como rebentos de feijão crus, ovos crus e sumos não pasteurizados. O risco deste último passa pelo facto da pasteurização eliminar agentes patológicos como E.coli e Salmonela. Se quiser beber um sumo fresco acabado de espremer, ferva-o antes para matar os germes.

Passo 4: Cozinhar bem a comida

          A comida tem de ser bem cozinhada para matar as bactérias perigosas. Para serem seguros, os ovos devem ser cozidos até que a gema fique firme. Se re-aquecer alimentos congelados, leve-os a altas temperaturas para matar ass bactérias.

Passo 5: Manter quente a comida quente, e fria a comida fria

          Embora a comida possa ser segura imediatamente após ser cozinhada, se permitir que o alimento fique sobre o balcão por mais de 2 horas, bactérias nocivas podem começar a reproduzir-se. Tenha em atenção que quanto maiores quantidades de alimentos saõ conservados no mesmo recipiente, a bactéria tem mais oportunidade de crescer porque o processo de arrefecimento leva mais tempo.

Passo 6: Ter um higiene correcta

          Isto significa lavar as mãos e fazê-lo com frequência. As nossas mãos têm muitas bactérias e podemos espalhá-las quando entramos em contacto com os alimentos, e deste modo, contaminá-los.

 

Entrevista ao Presidente do Conselho Executivo

Filed under: entrevista — chocolatinhos @ 8:52 am

 

 

 

 

 

Que medidas adopta a escola, ano após ano, para que a alimentação dos alunos se torne cada vez mais saudável?

A escola na elaboração das suas ementas segue as indicações do ME (ministério da educação), o respnsável pelo SASE, pessoa responsável pela elaboração das ementas consulta nutricionistas e participa em diversas acções de formação. no entanto achamos que anda há aspectos a melhorar.

Porque razão o preço dos alimentos na escola, a nível dos produtos do bar e da refeição da cantina é inferior ao espaço exterior á escola?

Os preços das refeições da cantina são estabelecidas pelo ME e são subsidiados. Do preço de uma refeição, uma parte provém desse subsídio, outra parte provém do pagamento por cada aluno da senha.
Os preços dos produtos do bar, são mais baratos que os produtos exteriores já que as margens de lucro são mínimas, por exemplo, a nível dos produtos lácteos são vendidos ao preço de custo.

Do mesmo modo que as batatas fritas de pacote foram banidas do bar escolar, acha que haverá outros alimentos (actualmente à venda na escola) que deveriam ser substituídos no bar?

É provável, sabemos que há alimentos que são menos recomendados a uma alimentação saudável, mas também não podemos ser fundamentalistas ao ponto de excluir tudo. Temos de ir encontra aos interesses dos alunos aliando a uma alimentação saudável. Achamos que é possivel a redução da variedade de produtos, mas não a sua eliminação. Até porque, muitas vezes os alunos adquirem esses produtos fora da escola.

Que iniciativas pensa a escola tomar no futuro para que a alimentação dos jovens se altere e se torne um pouco mais equilibrada?

Temos a noção que a alimentação seguida no refeitória é equilibrada. os jovens não gostam de peixe, legumes, sopa, fruta,… Acho que é necessária uma sensibilização junto das famílias ou em trabalhos como os vossos para fomentar o seguimento de uma alimentação mais saudável.